segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A Síndrome de Mestre dos Magos ou Ilha de Lost.


Acho que todo mundo já viu o desenho a Caverna do Dragão. Na história, um grupo de adolescentes vai brincar numa inocente montanha russa e acabam perdidos num reino imaginário. Vivendo nessa terra estranha, eles só têm como principal pseudo-ajuda um personagem chamado Mestre dos Magos. Perto do Hank, da Diana e Bobby (eita garotinho chato...) o Mestre dos Magos é de longe o personagem que eu mais odeio!! Sempre gostei mais dos anti-heróis como o Eric e o Presto (o meu favorito), a Uni me despertava pena, toda a vez que eu ouvia aquele méeeee cortava o meu coração, dava vontade de chorar.

Mas vamos focar naquela figura baixinha e chata. Quando era criança não tinha essa percepção, mas hoje tenho certeza que o Mestre dos Magos é na verdade um sádico!!! Pensa comigo; ele sabe como sair daquele lugar, então porque fica falando cifrado e some, desaparece, evapora do nada?! Não é à toa que, dizem as más línguas, o Mestre dos Magos e o Vingador são a mesma pessoa. Se não é são tão nocivos quanto. Tenho raiva do Mestre dos Magos, para mim ele não é mestre coisa nenhuma, é só um baixinho chato, careca cabeludo e ruim!!!

Nesse momento a cara leitora (ou leitor, é importante que os homens também leiam este post) deve estar se perguntando; “o que esse desenho tem a ver com a temática deste blog?!”. Então, sem mais delongas, vou explicar. Recentemente descobri uma série ótima chamada Adorável Psicose, nela a personagem principal, Natália, psicótica, tem altos papos com a sua terapeuta (tão maluca quanto ela) sobre relacionamentos homem-mulher e a sua interminável solteirice. Produzida pelo Multishow escrita e estrelada pela atriz e roteirista Natália Klein, a série é excelente para dar boas risadas e, é claro, praticar o meu esporte predileto; rir de si mesmo.

Num dos episódios um médico charlatão cria a expressão Síndrome de Mestre dos Magos. Acho que toda a mulher, ao menos que você seja a Angelina Jolie, já teve contato com essa “anomalia”. Visualiza a cena; você conhece um cara, fica com ele, saem algumas vezes, transam ou não, e, como um passe de mágica, puff... ele morreu?! Não, o dito cujo desaparece, some, evapora, vai para a Ilha de Lost junto com o “mala” do Mestre dos Magos. Fico imaginando o que passa na cabeça desses homens portadores da síndrome, porque somem?! Será que eles pensam que são tão maravilhosos, lindos, perfeitos, interessantes, inteligentes, uh-uh, que nós mulheres vamos nos apaixonar perdidamente por eles e desesperadamente tentar casar?! Não passa pela cabeça dessas criaturas que tal como eles nos só queremos sair algumas outras vezes e não namorar?! Sabe qual é o mal de muitos homens?! É pensar que todas as mulheres querem sempre namorar, casar, ter filhos e uma casa com cerca branca... é o velho e bom machismo persistente.

Caro, coleguinha Mestre dos Magos, se você sofre dessa síndrome saiba que não precisa desaparecer, por mais terrível que seja ouvir a verdade, ela é sempre melhor. Não deixe a gente feliz pensando que vocês sumiram porque morreram. Eu, por exemplo, respeito um cara que liga para uma mulher e explica o porquê ele não quer mais se encontrar com ela. Seja honesto, seja homem!! Ah, e mais um detalhe; nem todas as mulheres saem com um cara só com o objetivo de namorar e etc..., muitas vezes elas só querem sair, curtir, já percebemos que é somente isso que nos esperamos desse tipo de cara. Não somos idiotas que fantasiam e idealizam um romance de cinema com qualquer um. E tenho dito!!!

Mariana (Sim, eu odeio o Mestre dos Magos!!).

Dicas:



Quem quiser assistir aí está o link do episódio de Adorável Psicose em questão, vale à pena ver é super divertido. Espero que eu não tenha o mesmo fim do dono do Megaupload por fazer isso. Gosto especialmente da cena final, quando ela canta uma música para o Cláudio Henrique (o Mestre dos Magos da vez) é de chorar de rir!!!

http://www.youtube.com/watch?v=pxN9wRsFT6k

A autora da série também possui um blog, vale a pena dar uma conferida.

http://www.adoravelpsicose.com.br/





quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Queridos, hoje mais um rapaz deu o ar da graça aqui no blog! Trata-se de um amigo de longa data - o Diego.

Mais uma vez, vamos ter uma opinião masculina por aqui! Espero que gostem!

Jacqueline


Coisas que não se diz sobre 'Atitude
'




Ainda que seja um casal, cada um é responsável por seus problemas, não que não se deva compartilhar, mas resolver por aquela pessoa, isso não é definitivamente o correto a se fazer.

Se a menina ou o menino com quem você namora por acaso levou uma cantada, ou ouviu algo que achou que não era correto a seu respeito, o correto não é, com certeza, que você tenha que se intrometer.


O Correto é que ela ou ele resolvam os problemas por si, e você resolva os seus. E quando estiverem juntos que seja pra aproveitarem um a companhia do outro e não pra despejarem problemas a serem resolvidos, mesmo que seja dessa natureza.


Que ela ou ele nem sequer se ofereçam ou tentem querer resolver qualquer coisa assim...


Primeiro, porque você não deve dar liberdade para esse tipo de atitude, porque você deve ter a atitude, primeiro com a pessoa que fez isso ou aquilo com você e não ficar esperando que tomem uma atitude por você.


Segundo, porque é um papel ridículo pra você e pra seu companheiro(a) esse tipo de coisa, ela não está com você pra resolver seus problemas, como já dissemos anteriormente, não deve ser usado como um instrumento para isso.


Terceiro, porque quando você acha que é um problema que deve ser liquidado, você termina o problema e pronto. Amizades podem ser desfeitas ou coisas similares, mas a atitude tem de ser sua.


Isso com certeza há de valorizar você, ainda mais, em frente à pessoa com quem você está, afinal de contas qual a menina ou menino que não gosta de fato de uma pessoa com atitude ao seu lado?


É excitante, tenha atitude! Nem todo homem gosta de ter uma mulher songamonga do seu lado, e com certeza uma mulher não gosta quando um cara ficava esperando ela ter que ir falar com a menina que anda dando em cima dele que já é hora de parar.

Diego Claudino

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Homem; animal em extinção?!



Confesso que eu sou um pouco viciada em notícias. Certo dia, vendo a Globo News chamou-me a atenção a seguinte manchete; “Na Inglaterra mulheres buscam amigos gays para engravidar.” De acordo com a reportagem, mulheres independentes bem sucedidas e infelizes em buscar um relacionamento sério, resolveram respeitar o seu relógio biológico e ter filhos com seus amigos gays, segundo elas, eles são respeitosos e por conhecerem bem o amigo sabem que dariam bons pais com certeza.

Eu, particularmente, penso que isso é muito estranho, acho porque não sou exatamente aquela típica mulher que sonha em casar e ter filhos. Mas, concordando ou não com a opção de vida dessas inglesas essa não é a questão. O que eu fiquei refletindo era sobre a posição do homem heterossexual na sociedade atual. Com a emancipação feminina, as mulheres com direitos sobre o seu próprio corpo e vida, a pílula anticoncepcional, a conquista definitiva do mercado de trabalho sendo, inclusive, provedoras das famílias, os homens estão ficando sem aquela antiga função.

Então qual seria a função do homem na sociedade atual? Não falo da questão sexual, todo mundo sabe que ainda precisamos dos homens e não das cegonhas para fazer filhos. Mas sabemos também que para até ter prazer sexual nem sempre eles são necessários. Mesmo assim, homem, no sentido literal da palavra, não é só aquele considerado “máquina sexual”.

De uma certa forma entendo um pouco essa postura aloprada que alguns caras têm apresentado atualmente. Eles estão perdidos, as mulheres estão até assumindo o seu papel de conquistador, agora são eles que estão sendo conquistados e não ao contrário, como era no tempo de nossas avós e mães. Talvez essa postura “pegador implacável” seja uma forma inconsciente de nos pedir ajuda, de dizer; “Ei, estamos aqui, vocês ocuparam todos os espaços, mas ainda somos importantes!!!”

Acho que os homens mais bacanas são justamente os que já perceberam que estão em extinção e começaram a assumir esses novos papéis, adaptando-se a essa nova realidade. E quais papéis seriam estes? Não mais o de conquistador, o chefe da relação, o cara que vê a mulher como um mero apêndice. Mas sim aquele homem que percebe o sexo oposto não como tão oposto assim, que quer a mulher como sendo capaz de ser companheira, de andar lado a lado com ele. Acho que esse seria o novo homem. Não o perfeito, o durão, mas o que admite que chora, que tem fraquezas. Os que aceitam numa boa os seus novos papéis; lavam a louça, arrumam a casa, trocam a fralda do bebê, penteiam o cabelo da filha, são carinhosos, o que sabem escutar (fundamental isso não só para os homens, mas para qualquer pessoa) ... tudo isso sem medo de perder a masculinidade. Se nós mulheres podemos acumular funções, porque o homem moderno também não pode?! Pode ser que eu esteja sendo idealista demais, mas alguns homens (poucos infelizmente...) já perceberam isso, portanto são esses que precisamos preservar. Só assim podemos livrar essa tão ameaçada espécie da extinção definitiva.

Mariana (membro da Associação Protetora do Homem Moderno).

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Incentive seu filho a ser bailarino!


Eu acho balé legal! Não sou conhecedora do assunto – não me perguntem nada – eu só acho legal, harmônico... bonito de se ver!

Mas sabem uma coisa que é fantástica no balé: os bailarinos!

O pessoal preconceituoso criou um estereótipo do bailarino ‘bambi’, mas eu discordo profundamente. O cara pega a bailarina no colo, joga, leva ela para cá e para lá, sem que um músculo fraqueje. Muito mais forte do que trezentos mil machões um dia sonharam ser.

E vocês já viram o corpão mega sarado de um bailarino? Aff...

Sempre admirei os bailarinos, mas essa semana, minha admiração chegou no auge. Comprei uma revista e estava lendo uma entrevista com um ator chamado Ryan gosling (Diário de uma Paixão e Namorados para Sempre), que eu adoro, mas nunca soube nada a respeito.

Enfim, a barriga do moço em questão anda fazendo um sucessinho em Hollywood, devido aos seus gominhos definidos e todos no lugar – parece que tem até sites e blogs dedicados ao abdômen de Ryan. É, pois é...

Sabem o exercício do rapaz? Balé!!!

Eu lanço um apelo para futuras mamães: incentivem os seus filhos a fazer balé! O mundo precisa de mais bailarinos!

Por solidariedade feminina, matricule seu guri no balé e deixe as meninas do futuro mais felizes!


Jacqueline

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Ninguém é perfeito de perto!

Já ouviram aquele ditado de que ninguém é normal de perto? Pois é, também ninguém é perfeito de perto.

O site celebritycloseup posta diversas fotos de pessoas públicas bem de pertinho. Dá para a gente ver aqueles defeitinhos que de longe ninguém nota: cravo, espinha, ruga...

Enfim, você se sente mais humano ao ver toda essa humanidade alheia!

Algumas fotos do site:




Jacqueline

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O Outro Lado da História.




Ano Novo, vida nova e também novidades no nosso blog. Agora temos uma nova seção que resolvemos carinhosamente apelidar de “O Outro Lado da História”, nela abrimos espaço para o “sexo que quer parecer forte, mas, na verdade é frágil, afinal não fazem depilação” se manifestar. É isso mesmo, adorável rapaz, esse é o espaço para você escrever a sua opinião sobre o nosso universo. Esteja convidado, somos democráticas (nem tanto) e aceitamos a sua opinião. O primeiro texto é sobre a nossa incrível capacidade de nunca estarmos satisfeitas com nada. Concorda?! Discorda?! Coloque o seu comentário!!!

Por que as mulheres nunca se contentam com nada????

Porcos chauvinistas???? Tá bom.... Depois de uma intensa batalha pelos “direitos iguais” ao longo do século XX, as mulheres mais uma vez se saíram vitoriosas, e apesar disso se mostram insatisfeitas. Lutaram tanto pelos direitos iguais e agora o desprezam. Estou longe de entender o universo feminino. Ninguém entende, apenas atesta. Mas uma coisa é clara: mulé nunca tá satisfeita com nada, e sempre quer o que não tem!!!! O namorado da amiga é sempre melhor, e a vontade de furar o olho da coitada é incontrolável, mas quando conseguem, aí não querem mais...Lutam durante um século por direitos iguais, aí quando conseguem, jogam tudo na conta do homem: é ele quem tem que dirigir o carro, abrir as latas de sardinha, os vidros de azeitona, trocar as lâmpadas queimadas, matar as baratas cascudas, resolver os problemas de condomínio, ... Por que lutaram por independência então???

E sem generalizar, em pleno século XXI, há umas pururucas que não querem nem estudar nem trabalhar, e acham que o homem tem obrigação de pagar as contas delas. Por que lutaram pelos direitos iguais então??? Agora que venceram, façam por merecer. Hoje em dia ainda existe muita mulher que não se valoriza, e depende de esmola e favor de homem pra sobreviver. Se a mulher está desempregada ou inválida, tudo bem, mas se está de bobeira em casa por opção, aí é lamentável!!! A mulher é tão capaz quanto o homem, tão inteligente quanto, e pode sim ser independente e não ficar mendigando esmola nem favores de ninguém. Antigamente se sentiam ofendidas porque não podiam votar, só podiam sair na rua acompanhadas, e eram obrigadas a ficar em casa cuidando dos afazeres domésticos enquanto o marido ia trabalhar fora. A mulher que se escora em homem desse jeito, geralmente é aquela com pouco estudo, burrinha como uma porta, mas com um peitão de silicone, um bundão, e uns retoques a mais na lataria. Mulher boa é mulher com conteúdo, culta, talentosa, inteligente, independente e capaz de se auto-sustentar, sem depender de caridade de homem nenhum.

Essa história de sempre querer o que não tem vale para a auto-imagem também. Se é santinha, quer se passar por vagabunda; e se é vagabunda, quer se passar por santinha. Exemplo mais clássico: a “Sandy Júnior”, que ao invés de valorizar sua imagem de “santinha” (que é sonho de consumo de muitas mulheres), vive tentando reverter a situação, e recentemente chegou a declarar à Revista Playboy que gosta de uma catucada por trás, gosta de dar ré no quibe, rematricular o Pelé...O fato dela gostar não é vulgar, desde que seja assunto dela e do peguete ou namorado dela. Vulgar é explanar isso pra metade da torcida do Flamengo, como ela fez!!!! E quer saber do que mais??? Todo homem esperto sabe que é só inverter tudo: se a mulher se faz de santinha, é por que é piriguete, e se ela se faz de piriguete, é porque é santinha...Isso é fato!!!! Pra mulher, basta não ter pra querer!!!! Vai entender...

André -Mestre em Ciências Etílicas, pela UAARJ (Universidade dos Alcoólatras Anônimos do RJ).