quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Guia de Etiqueta Para "Ex Namorados"


Ex namorados fazem parte da vida de todas as mulheres, tirando aquelas que encontraram de cara o seu príncipe encantado - o que é mais ou menos 0,00000000001% das mulheres por aí - as outras milhões de mortais, beijam uma série de sapos antes de encontrarem (ou não) o seu príncipe - algumas simplesmente morrem procurando ou outras, infelizmente, casam com sapos mesmo e se resignam na vida do brejo.


O jeito para as mais seletivas é acumular uma listinha de experiência. Algumas tem uma listinha bem simplezinha; já outras, dão uma exagerada e levam ao pé da letra o jargão: "A fila anda..."


Não importa gênero, número ou grau dos ex, o que importa é a ciência de que se o relacionamento tivesse sido realmente bom, o ex seria o atual e não o ex - simples assim. O único problema é que muitos ex por aí, não se colocam nos seus lugares de ex e continuam ligando, procurando, sendo invasivos e de uma forma bizarra e mesmo assustadora, ainda acham que podem ter o controle e a posse da vida das suas ex parceiras - não fiquem pasmos, é muito mais comum do que vocês podem imaginar... chega ao ponto de alguns ex já estarem com outras namoradas e continuarem a ligar. Por que? Não faço a mínima idéia... Vaidade? Insegurança de partir para o desconhecido? Talvez.

Então, esse post é dedicado aos ex!!! Sim, esse post é para você que é um ex obssesivo e manipulador, perturbado e maluco!!! Para você criamos este manual de etiqueta, com pequenas regras básicas de conduta e comportamento, que te ensinarão a sumir com elegância e compostura!



Regra número 1. EX NÃO VIRA SUA AMIGA - Esqueça a possibilidade de virar melhor amigo da sua ex ou tê-la como melhor amiga. Não rola trocar confidências do gênero: lembra daquele dia que eu brochei? Pois é, aconteceu de novo..." ou pior: "Tive o melhor sexo da minha vida ontem... minha atual faz de tudo e deixa a ex no chinelo... ops! a ex era você...". O ouvido da sua ex não é pinico, logo, ela não vai querer trocar confidências ou compartilhar experiências de vida - requisitos básicos para uma relação de amizade.
Regra número 2. SUA EX NÃO VAI SER AMIGA DA SUA ATUAL - não se anime com fantasias sórdidas entre sua ex e sua atual, pois possivelmente elas se odiarão (mesmo que não se conheçam e nunca tenham se visto). É a ordem natural das coisas... pode ter sido até a ex quem deu o fim no relacionamento, mas ainda assim, ela não vai gostar da sua atual. Sexo à três? Aff, só nos sonhos mesmo... até porque, intimidade é algo que se amplia, geralmente não retrocede. A sua ex ia na sua casa, abria a geladeira e pegava coisas para comer; ela botava o pé no sofá e dormia na sua cama a hora que quisesse. Enfim, sua ex, querido, não vai querer ter uma série de limitações e vetos de intimidade, pedindo 'com licença' e 'por favor' para a sua nova namorada. Ela achará isso uma situação muito desagradável.
Regra número 3. NO TÉRMINO SE ABRE MÃO DE FORMA INTEGRAL DA EX- Você, querido ex, deve ter em mente (se foi você quem terminou), que quando terminou o relacionamento, decidiu abrir mão da pessoa integralmente: das coisas boas e ruins que ela oferecia! Você fugiu da calcinha molhada que ficava na sua pia e das músicas irritantes que ela escutava alto, mas fugiu também dos cafunés que te faziam pegar no sono e das surprezas de aniversário que ela te preparava todo santo ano...
Regra número 4. NÃO LIGUE - É irritante e patético ter que saber notícias do ex sem querer... você acha que o sujeito já morreu e derrepente, lá está ele novo... Apague o teefone de sua ex da agenda. Até porque vai que você liga e ela já está com o atual?
Regra número 5. NUNCA SIGA SUA EX. Isso é lunático e paranóico! Dá cadeia! Nem preciso escrever mais nada...
Regra número 6. QUEM VIVE DE PASSADO É MUSEU (e historiadores... e restauradores... e arquivistas...) Siga sua vida! Passado é sempre bom! Sempre trás experiências positivas de aprendizado, mas já passou!!! Foi embora como as folhas de outono... Siga sua vida e deixe sua ex seguir a dela.
Enfim, ex podem ser muito desagradáveis de vez em quando e as vezes nem se dão conta disso... bem, consegui pensar em seis regrinhas básicas para os ex seguirem... alguém lembra e cita mais alguma?

Jacqueline

(Isabele)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PADRE: PROCURA UMA NAMORADA!!!

Caros leitores (as), não estranhem o título, eu tenho uma história curiosa pra contar...

Essa semana, depois de uma longa jornada - trabalho, faculdade, doutorado - fui pra casa do namorado. Enquanto ele não chegava, resolvi ligar a TV, para me distrair e descansar. Eu sou aquele tipo de pessoa que quase não assiste televisão e quando resolvo fazer isso, não consigo ficar mais que dez minutos sem trocar de canal. Assim, prender minha atenção em frente a telona é tarefa difícil, o programa terá que ter algo beeemmmm interessante ou inusitado e não é que tinha... Zapeando por aí, de repente, parei num canal cuja a chamada era assim: "É o amor. Padre Jader procura uma namorada!".

Chamada típica de programa que quer prender o telespectador... O programa era o Superpop da Rede TV, com Luciana Gimenez (aquela apresentadora que vivem chamando de burra... o que particularmente acho não é bem assim... casada, muito bem casada $, mãe de um filho de artista internacional, dona de um belo corpo, de belas roupas etc...). Para sanar minha curiosidade, resolvi parar uns instantes e assistir.

Tratava-se de um padre da Igreja Cristã Renovada (vertente que permite que os padres casem e tenham filhos!) que estava a procura de uma namorada! Até aí, já era uma história pouco comum, um padre de 36 anos, num programa de televisão procurando um amor...

Mas, ainda tinha mais, muitas mulheres se inscrevem como candidatas para conhecer o tal padre!!! O perfil das mulheres é o que mais me surpreendeu... Eram mulheres bonitas, aparentemente bem resolvidas, independentes, certa condição financeira, instrução, corpo em dia... todas tinham o mesmo desejo "arrumar um namorado", o que parecia estar sendo difícil para todas elas.
Tudo bem, esses programas são forjados e exagerados, etc, mas nem por isso deixam de refletir uma parcela da realidade... meninas, sinto dizer... mas, faltam homens no mercado! A cada dia me assusto mais o número crescente de mulheres bonitas, disponíveis a procura de um namorado! Um cara legal, inteligente, fiel , com certa estabilidade financeira, sem vícios... e mais algumas coisinhas. Tudo bem, sei que nós mulheres somos exigentes, mas amigas, parece que o negócio tá bem difícil também, o mercado anda muito em baixa. Parece que as mulheres estão vivendo um processo de desenvolvimento pessoal-acadêmico-financeiro e estão ficando cada vez mais solitárias! O que mais conheço ultimamente são mulheres que reclamam da falta de um namorado. E ainda tem aquelas, que apesar de possuirem um relacionamento meio "mal das pernas", preferem assim mesmo mantê-los, pois dizem que será difícil arrumar outro!

As candidatas a namorada do tal padre, tinha isso em comum também, todas desejavam um namorado, e porque não tentar uma padre, pelo menos a fidelidade talvez fosse uma das qualidades dele. Algumas candidatas eram meio baladeiras e prometiam até largar essa vida por um namorado! Vamos combinar que é preciso coragem para se expor assim... confesso que apesar da história pizarra e do viés sensacionalista, fiquei pensando nas mulheres maravilhosas sozinhas que eu conheço e percebi amigas que a maré não tá pra peixe... Dentre as candidatas havia uma, de Brasília, que participou do programa pelo skype e parecia desesperada coitada. Acho até que as mulheres de tão crítica que está a situação estão aceitando de bom grado o que vier... até padre... em tempos de crise, o que cair na rede é peixe, já dizia uma amiga minha... Alguém se candidata?



Para assistir o vídeo, acesse: http://www.redetv.com.br/portal/Video.aspx?39,9,56493

Isabele

VOTE PELO FIM DO DIA DO AMANTE

Existe dia para tudo o que a gente nem consegue imaginar: dia dos mestres, dos médicos, dos avós, dos pais, das mães... dia do trompete, do paquibaquigrafo, da xurumela (deve existir com certeza)... Mas ontem, especialmente, foi o dia do amante!


Deveríamos entender amante como aquela pessoa que ama, aquela pessoa com o coração cheio do nobre sentimento que é o amor! Ah, o caramba! Nunca é nisso que pensamos quando escutamos a palavra 'amante'. Nossas mentes poluídas, nos fazem logo associar amante com o (a) vigarista que rouba nossos homens /mulheres.

Mas.... vigarista? Por quê?


Eu escutei no rádio uma entrevista com diversos homens e mulheres defendo ou atacando a traição. Alguns diziam que era algo imperdoável ou que Deus não via essa ação com bons olhos; outros, defendiam como sendo da natureza humana, algo que não há como fugir. Alguns participantes (homens, parar variar...) afirmavam trair mesmo amando suas esposas - gostavam simplesmente de variar.


O que me fez lembrar de um livro, que eu li certa vez, em que a autora dizia que alguns bois, que ficavam com a mesma vaca muito tempo, paravam de procriar. No entanto, se uma vaca nova entrasse na parada, o boi voltava a ser garanhão. É, um homem pode facilmente ser comparado com um boi. Incrível! Homens e bois se equivalem!

Mas não era nada disso que eu queria falar. Voltando ao tema central, vira e mexe nos indignamos com os (as) amantes. Isso é completamente infundado, pois na realidade, quem tem compromisso efetivo com você é o seu companheiro infiél - ele(a) prometeu monogamia, ele(a) prometeu estar do seu lado na saúde, doença e todo esse papo. O que o (a) amante do seu companheiro te prometeu? Você ouviu da boca do dito cujo que ele te seria fiel até que a morte os separassem?

Eu nunca estive nessa posição, mas creio sinceramente que a vida de muitos amantes não é nada confortável - ter sempre uma pessoa pela metade, nunca saber se ela está falando a verdade ou mentindo sobre o fim próximo do casamento, imaginar ele (a) com a esposa / marido... enfim, não é uma dia que ninguém deveria comemorar, pois motivos de comemoração não exitem muitos.

Vamos, portanto, votar pelo fim do dia do amante, fazer um abaixo assinado e substituí-lo pelo dia dos mafagafos. Poderíamos fazer mais um feriado nacional (nem temos muitos) e uma grande festa.

Jacqueline

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Vídeo Teste

video

Olá!

Bem, uma das nossas propostas iniciais para o Blog era diversificar um pouco as postagens adicionando alguns vídeos de vez em quando - é mais divertido e dinâmico.

O vídeo acima foi só um teste - sem noção e sem conteúdo significativo, que no fim não falou quase nada da sua proposta inicial, mas serviu para que testássemos a viabilidade do intento.

Infelizmente, Isabele não estava presente, mas no próximo, ela dará o ar de sua graça também.

Espero que gostem (principalmente os Pablos e Pedros)...

Jacqueline

quarta-feira, 9 de setembro de 2009



E AÍ, VAI CASAR QUANDO?


Se você está na faixa dos 20 e poucos, 30 anos, com certeza já deve ter ouvido a famosa frase: "E aí vai casar quando?" E caso ainda não tenham perguntado isso a você, não se preocupe, alguém fará o "favor" de te perguntar...

De repente me dei conta que quanto mais a idade avança, mais as pessoas, amigos, familiares, conhecidos e até desconhecidos, te pressionam (mesmo que inconscientemente) com essa terrível pergunta...

As pessoas parecem esperar que o ponto alto da sua vida adulta seja o casamento! Se você é comprometida, namorando a algum tempo então... ihhh, se prepare, mais cedo ou mais tarde alguém vai te fazer essa pergunta... Por outro lado, se você é solteira, mesmo assim, de uma forma ou de outra as pessoas acabam ao menos te questionando a respeito do assunto. Para as mulheres, a pressão social é muito pior. (convido os homens que visitam o blog a opinarem a respeito!).

Você vai naquela festinha de família, as pessoas já viram seu parceiro pelo menos meia dúzia de vezes e alguma tia chata logo sorri e pergunta: "E aí, para quando é o casório?"

Você reencontra uma amiga dos tempos de colégios, e papo vai papo vem, a frase aparece quase que instantâneamente: - "E aí amiga, casa quando?"

Uma de suas amigas resolve casar... aí ferrou de vez... Simplesmente, seja você solteira ou comprometida, terá uma pessoa que vai fazer o comentário: "Agora falta você hein..."

Muitas de nós, as vezes, ainda sofrem uma pressão familiar mais direta, da própria mãe ou da sogra: "Mas, afinal, vocês vão casar quando?" Parece que sua vida e sua felicidade dependem disso... até você se casar nada é realmente importante, a razão de você estar no mundo parece ser está... o casamento!

Estou percebendo que quando você está próximo dos trinta tudo piora, a pressão e as perguntas vão chegando a um nível quase que insuportável... Pior, ao refletir sobre isso, me dei conta que nós mulheres acabamos nos pressionando mutuamente. Essa célebre pergunta, é feita em grande parte justamente por mulheres! Assustador... odeio essa pergunta, mas pior que as vezes me pego perguntando para as amigas, quase que sem querer... "E aí menina, vai casar quando..."

Mulheres uni-vos! Nada de pressão...
Vamos nos policiar e parar de perguntar umas as outras: "E aí, vai casar quando?"

Isabele

Sim aos Cachorros! Não aos Namorados!




Algumas namoradas quando insatisfeitas com as atitudes de seus companheiros costumam "ofendê-los" chamando-os de cachorros, sem se darem conta da blasfêmia que cometem, pois na realidade, elas estão ofendendo os cachorros com essa comparação. Coitadinhos dos cachorrinhos, eles não merecem. Na prática, chamar alguém de cachorro longe de ser uma ofensa pode se tornar um elogio, afinal, nossos companheiros de quatro patas possuem inúmeras qualidades e se as colocarmos em perspectiva ao sexo masculino do ser humano, mais essas qualidades se evidenciam.


Quem tem um cachorro não precisa de um namorado, por isso lanço o protesto: Sim aos Cachorros! Não aos namorados! E para quem ainda não se convenceu, aí vão alguns ítens para reflexão:


1. Cachorros te escutam; você pode gastar todas as suas milhares de palavras diárias com ele, que ele não demonstrará tédio ou tentará mudar de assunto, mas o melhor de tudo é que ele não fará perguntas idiotas ou perguntará do que mesmo você estava falando.


2. Cachorros não se importam com a sua aparência; você pode estar sem depilação há meses, desgranhada, gorda, de buço, unhas feias que eles não ligarão para isso, sem cobranças - você pode simplesmente relaxar e ser querida de qualquer forma...


3. O cachorro sempre fica feliz ao te ver. Você chega de um dia estressante de trabalho e afazeres que ele estará lá abanando rabo e feliz. Sempre!


4. Você nunca correrá o risco de encontrar a toalha molhada do seu cachorro na cama ou a cueca dele largada na pia do banheiro.


5. Ele nunca levará amigos indesejáveis dele para casa.


6. Ele não liga para futebol e não te trocará por um bando de marmanjos barbados atrás de uma bola e ganhando milhões para isso.


7. Ele não tem barriga de chope.


8. E o mais importante, você sabe que ele é irracional e naturalmente instintivo, logo, você não o encherá de expectativas que o intelecto dele não acompanhará.


Viram? Há inúmeras vantagens em ter um cachorro ao invés de um namorado, e nós ainda nem mencionamos os olhinhos brilhantes e o pelo macio. Por isso vamos todos aderir ao movimento Sim aos Cachorros! Não aos Namorados! Conto com todos você para uma mobilização nacional!


Jacqueline

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Reconheça; Ele não está tão a fim de você !!!!

Tá legal, eu admito, sou fã de comédias românticas, eu sei, eu sei, algumas delas são óbvias demais, mais um pouco de fantasia não faz mal a ninguém. Vamos combinar, cara leitora, pelo menos nos filmes, nós mulheres temos que se dar bem, senão cadê a esperança da humanidade?!

Sou uma espectadora compulsiva de comédias românticas (será que existe algum tipo de grupo de auto-ajuda para isso, do tipo, Alcoólicos Anônimos?). O último bom filme que assisti chama-se “Ele não está tão a fim de você”, acredito que muitos de vocês devem ter visto no cinema ou no recente lançamento em DVD. Baseado num livro de auto-ajuda (não, deste mal não padeço) “Ele simplesmente não está tão a fim de você” de Liz Tuccillo e Greg Behrnedethdos, roteiristas da série “Sex and the City”, é um filme sem romances óbvios com cenas de final feliz, embora, o final seja no estilo happy end. O interessante do filme é que ele próprio desconstroi outras comédias românticas onde tudo sempre dá certo, não espere isso, nem tudo dá certo, quando ele não está tão a fim de você.

A mensagem mais legal do filme é que você não deve ser iludir, se ele não te liga, não te encontra por causa de sua agenda lotada de compromissos, está fazendo bodas de noivado, não se separa da mulher porque ela tem um grave problema de saúde, não fala com você no MSN ou orkut, ou qualquer outra mídia eletrônica que servem só para você levar mais um fora, reconheça; ele não estão tão a fim de você. Não minta, cara leitora, por mais emancipadas que somos temos uma tendência a fantasiar e acreditar que no fundo, mais bem lá no fundo, ele está querendo disfarçar que não tem interesse, pois tem medo de relacionamentos sérios. Quando ele está realmente a fim de você, pode cair uma bomba atômica no estilo Hiroshima e Nagasaki que o “dito cujo” vai arrumar um jeito de vocês ficarem juntos...

Quanto estamos envolvidas em relacionamentos incertos, fracassados, platônicos ou simplesmente impossíveis, às vezes pensamos que aquele fora direito ou indireto que levamos não quer dizer realmente isso. Ficamos horas alugando os ouvidos de nossas amigas, jogando tarô, fazendo mapas astrais, lendo horóscopo de nossos pretendentes para tentar descobrir o que realmente ele quis dizer quando disse que você era boa demais para ele (ops!) ou quando gosta muito de sua amizade e tem medo de perdê-la, ou ainda, quando nunca atende seus telefonemas, ou te chama de fofa. Viramos verdadeiras detetives de segundas palavras ou intenções; “não na verdade ele está escondendo os sentimentos”, “homens às vezes tem dificuldade de expressar seus sentimentos”, “ele falou isso, mas na verdade queria dizer aquilo, está confuso”, besteira!!!! Os homens não são crianças, alguns sabem bem o que querem e conseguem se expressar, o fora é só um fora, não tem segundas, terceiras ou quartas intenções, o recado é claro, cara leitora, ele não está tão a fim de você.

Nesta altura do campeonato, algumas de vocês, devem estar pensando; “ela só está falando isso porque é uma mal amada!” “na teoria é fácil perceber, mas na prática...” “na verdade ela não acredita no amor, é uma pessimista”, “coitada, sofreu uma desilusão e está jogando a raiva para o mundo, ou melhor, para o blog”, podem até jogar pedras, realmente algumas destas afirmações podem até estar corretas, afinal, não sou uma espectadora de comédias românticas à toa. Mas, algumas das coisas que eu disse acima fazem algum sentido. O que eu estou querendo dizer de forma bem humorada ou não, é que temos acordar para realidade e não perder tempo com quem não está tão a fim de você. Uma vez, uma amiga me disse “enquanto não encontramos o cara certo nós divertimos com os errados”, então se você sabe que ele não está a fim de você logo de cara, pelo menos se divirta, sem falsas ilusões. Temos que buscar nosso final feliz, seja ele qual for, sozinha, acompanhada, mal acompanhada, nos divertimos com os caras errados, ou simplesmente nos divertimos, mas, atenção, cuidado, tente ser um pouco realista e perceba quando ele não está tão a fim de você. Não perca sua esperança, como diz o filme, se liberte de quem não está tão a fim de você!

Ps: Caros leitores, não se sintam desprestigiados porque meu texto fez referência a caras leitoras. Sendo homens ou mulheres sempre encontramos pessoas que não estão tão a fim de nós, faz parte da vida, então, por favor, podem postar também os seus comentários. Caso você seja um felizardo que não tenho encontrado este tipo de pessoa, então vale a pena, nunca é demais conhecer o universo feminino.

Mariana

video
video


Eu estava fazendo uma limpa no e-mail hoje e por conscidência, vi esse vídeo que um amigo me mandou há algum tempo. Eu acho que ele complementa bem o post sobre os 'Padrões Inatingíveis'.


Jacqueline

sábado, 5 de setembro de 2009

Olá queridos (as)!

Agora vocês já podem ver, no canto direito da tela, quem somos!

Em sentido horário apresento: Jacqueline, Isabele e Mariana (Jacque, Bele e Mari)! E no canto esquerdo nós três juntas, sendo que esta foto foi tirada num momento muito importante, a noite em que resolvemos criar o Blog!!!

Assim, muito prazer, seja bem-vindo (a) ao Blog!!!

Abraços,

Isabele

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Padrões Inatingíveis!

Viver há alguns séculos atrás não devia ser muito fácil. Já imaginou não ter geladeira, chuveiro elétrico e televisão? Pior, já imaginou viver num mundo sem sorvete? Coisa inimaginável!


Agora, faça um esforço maior e imagine viver num mundo sem todos esses confortos contemporâneos e ainda ser mulher - não poder votar, não poder casar por amor, ter seu primeiro filho ainda adolescente e ser completamente dependente financeiramente de um marido que geralemente desperta mais angustia do que afeto.


Pois é, não eram tempos fáceis. No entanto, uma coisa era melhor e isso ninguém poderá negar: o padrão de beleza feminino era uma coisa muito mais alcánçavel do que hoje em dia. Atualmente, uma mulher só é considerada bonita se for anoréxica, tiver cinturinha, cabelo tratado, pele viçosa e uma série de outros requisitos que se forem levados ao pé da letra, farão que a mulher viva para o auto cuidado e não saia do salão e da academia para mais nada.

Quando a gente se dá ao trabalho de parar na banca de jornal para ver as revistas voltadas para o público feminino, 80% tem matérias de capa como essas: "Perca 3 kg em 3 Dias", "A Dieta do chá", "A Dieta da Lua"... e assim vai...


Se a gente olhar para o lado, na parte das revistas masculinas, dá até vontade de correr! Aquele bando de mulher indefectível fazendo que os homens achem que um corpão daqueles é o padrão normal, quando na realidade somente uma em cada cem mulheres conseguem atingir esse padrão de "perfeição" - depende do tempo livre, do dinheiro livre, da genética e da força de vontade de olhar para um rabanete e pensar: "Uh, que melhor do que sorvete".
As nossas tatatataravós nesse aspecto, não tiveram com o que se preocupar, pois mulher bonita era mulher gordinha. Ter uma mulher gordinha em casa era sinônimo de que o homem era um bom provedor.


Só a nível de exemplo, abaixo está o quadro renascentista 'As três Graças'. Dê uma olhada:


Dá até para ver celulites! Hoje em dia, provavelmente ele seria chamado de "As três Desgraças"...

Mas porque eu escrevi isso tudo? Em linhas gerais porque eu luto há alguns anos com uns benditos quilinhos extras, que não me tornam uma obesa mórbida, mas ainda assim me incomodam. Daí, esses dias eu parei para pensar e me perguntar: Por que isso me incomoda tanto? Eu sou saudável, minhas taxas estão perfeitas e a curto e médio prazo eu não corro risco de vida, logo, só existe uma resposta - o incomodo é ocasionado por uma questão meramente estética.

Mas se as questões estéticas são construções sócio-históricas interiorizadas pelo indivíduo, ele pode desconstruir isso a hora que ele quiser, basta se conscientizar de que na realidade ele está se tornando um receptáculo e propagador de valores que não necessariamente devem corresponder as suas inclinações interiores. O ruim dessa opção é que ela é trabalhosa demais...

Ou, existe uma outra opção, que eu julgo mais fácil: algum físico insatisfeito com a aparência pode construir uma máquina do tempo para que as mulheres que julgam não se encaixarem nos padrões atuais possam voltar ao período renascentista... Viram? fácil, fácil... Dr. Brown (De Volta para o Futuro) fez, qualquer um pode fazer... O único problema é não sobrar muita mulher por aqui...

Jacqueline.