quinta-feira, 31 de dezembro de 2009



FELIZ 2010!!!





Lista de coisas para fazer em 2010:

1. Perder 10 quilos!

2. Recuperar os 10 quilos com muito chocolate na época da TPM!

3. Arrumar 10 namorados!

4. Atestar que eu tenho mesmo dedo podre e dispensar os 10 namorados!

5. Juntar 10.000 reais!

6. Gastar 10.000 reais em roupas que nunca sairão do armário!

7. Me iludir achando que 10.000 é fácil de conseguir!

8. Passar 10 horas por semana na academia!

9. Não passar mais 10 horas por semana em pizzarias!

10. Fazer 11 planos 2011!

Queridos, um ótimo 2010 para todos vocês e ano que vem nos encontramos aqui de novo!


Jacqueline

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

HO HO HO! FELIZ NATAL!!!


O blog anda meio largado, eu tenho que confessar!

Mas ainda o amamos e o queremos bem! Ainda curtimos ver a opinião dos nossos um ou dois leitores de plantão, ainda vemos algum filme ou lemos algum artigo e pensamos: "isso renderia um post...".

Nós só estamos completamente sem tempo e meio cansadas durante o tempo livre que nos sobra. É final de ano... sempre dá essa preguiça mesmo! Mas tudo o que precisamos é encher a cara na virada do ano e 2010 começará cheio de pique (quem lê, até pensa que eu bebo...).

Enfim, em 2010 prometemos muitos novos posts falando mal dos homens e defendendo os defeitos femininos.

Por ora, desejamos um FELIZ NATAL para todos (até para os homens)! E que essa data não se resuma aos presentes e a comida, mas que nos faça refletir sobre nós mesmos... Bem, é melhor eu parar ou vou ficar piegas rápido (vocês não tem noção do quanto eu consigo ficar piegas nessas datas).



P.s. Eu quero esse Papai Noel me visitando esse ano... (quem lê, até pensa que eu sou uma tarada... bem, nada a declarar...)

Jacqueline!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A poesia e a mulher.


Tentação

Clarice Lispector.

“Ela estava com soluço. E como se não bastasse a claridade das duas horas, ela era ruiva.
Na rua vazia as pedras vibravam de calor - a cabeça da menina flamejava. Sentada nos degraus de sua casa, ela suportava. Ninguém na rua, só uma pessoa esperando inutilmente no ponto do bonde. E como se não bastasse seu olhar submisso e paciente, o soluço a interrompia de momento a momento, abalando o queixo que se apoiava conformado na mão. Que fazer de uma menina ruiva com soluço? Olhamo-nos sem palavras, desalento contra desalento. Na rua deserta nenhum sinal de bonde. Numa terra de morenos, ser ruivo era uma revolta involuntária. Que importava se num dia futuro sua marca ia fazê-la erguer insolente uma cabeça de mulher? Por enquanto ela estava sentada num degrau faiscante da porta, às duas horas. O que a salvava era uma bolsa velha de senhora, com alça partida. Segurava-a com um amor conjugal já habituado, apertando-a contra os joelhos.
Foi quando se aproximou a sua outra metade neste mundo, um irmão em Grajaú. A possibilidade de comunicação surgiu no ângulo quente da esquina, acompanhando uma senhora, e encarnada na figura de um cão. Era um basset lindo e miserável, doce sob a sua fatalidade. Era um basset ruivo.
Lá vinha ele trotando, à frente de sua dona, arrastando seu comprimento. Desprevenido, acostumado, cachorro.
A menina abriu os olhos pasmada. Suavemente avisado, o cachorro estacou diante dela. Sua língua vibrava. Ambos se olhavam.
Entre tantos seres que estão prontos para se tornarem donos de outro ser, lá estava a menina que viera ao mundo para ter aquele cachorro. Ele fremia suavemente, sem latir. Ela olhava-o sob os cabelos, fascinada, séria. Quanto tempo se passava? Um grande soluço sacudiu-a desafinado. Ele nem sequer tremeu. Também ela passou por cima do soluço e continuou a fitá-lo.
Os pêlos de ambos eram curtos, vermelhos.
Que foi que se disseram? Não se sabe. Sabe-se apenas que se comunicaram rapidamente, pois não havia tempo. Sabe-se também que sem falar eles se pediam. Pediam-se com urgência, com encabulamento, surpreendidos.
No meio de tanta vaga impossibilidade e de tanto sol, ali estava a solução para a criança vermelha. E no meio de tantas ruas a serem trotadas, de tantos cães maiores, de tantos esgotos secos - lá estava uma menina, como se fora carne de sua ruiva carne. Eles se fitavam profundos, entregues, ausentes de Grajaú. Mais um instante e o suspenso sonho se quebraria, cedendo talvez à gravidade com que se pediam.
Mas ambos eram comprometidos.
Ela com sua infância impossível, o centro da inocência que só se abriria quando ela fosse uma mulher. Ele, com sua natureza aprisionada.
A dona esperava impaciente sob o guarda-sol. O basset ruivo afinal despregou-se da menina e saiu sonâmbulo. Ela ficou espantada, com o acontecimento nas mãos, numa mudez que nem pai nem mãe compreenderiam. Acompanhou-o com olhos pretos que mal acreditavam, debruçada sobre a bolsa e os joelhos, até vê-la dobrar a outra esquina.
Mas ele foi mais forte que ela. Nem uma só vez olhou para trás.”


(LISPECTOR, Clarice. A legião estrangeira. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.)

E você, cara (o) leitora (o), conhece algum outro poema que retrate o universo feminino? Conte para nós!

Mariana




sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O que nos ensinam Fred Astaire & Ginger Rogers.

“Mas isso não é um blog, é um muro de lamentações!” Esta foi uma crítica que ouvi ultimamente sobre o blog. Comecei a perceber que de uma certa forma, ela faz algum sentido. Vejamos, o que temos no blog; reclamações de homens, homens idealizados para o mal (não acredito que podemos simplificar as pessoas em 7 mandamentos, felizmente o ser humano é uma criatura complexa e múltipla, independentemente do sexo), choradeiras com chocolates, vítimas, vítimas, oh ... nós, pobres mulheres... Por que sempre falamos de relacionamentos mal sucedidos? Por que sempre, nós mulheres, somos vítimas de homens insensíveis? Ora, se somos vítimas deles é porque nós escolhemos sempre este papel. Leitoras, vamos parar de lamentações !!! Vamos focar em relacionamentos bem sucedidos, o que temos a aprender com eles? Acreditem relacionamentos bem sucedidos existem e não são tão raros como o ET de Varginha.

Proponho uma observação atenta em um casal da ficção em especial; Fred Astaire e Ginger Rogers. Os dois dançarinos, cantores e atores encantaram e romantizaram o mundo entre as décadas de 1930 e 1940, juntos o casal lançou sete filmes. Astaire e Rogers dançando eram perfeitos, sempre que assisto os dois em seu belo balanço penso que o amor pode ser possível. Não falo de amor romântico, impossível e perfeito como um comercial de margarina. Também não sou tão lunática assim, sei que estamos falando de uma ficção, sei que um relacionamento não é 100% perfeito, todos os casais tem seus problemas. Mas quando vejo Fred e Gingers dançar penso que um relacionamento a dois pode funcionar como uma dança; sincronismo, elegância, suavidade, leveza, paixão sem deixar um minuto o mais importante que infelizmente vem sendo esquecido; o olho no olho. Os céticos irão dizer; “isso não faz o menor sentido, é ficção, não existe, que romantismo bobo”. Tudo bem pode até ser verdade, então não vamos focar em relacionamentos perfeitos, mais nos possíveis. Aí, volto à dança, por mais que existam passos marcados ela não possui regras, cada casal faz as suas. Ás vezes cada um dança mal separado, mas juntos são perfeitos, indivisíveis...como uma dupla dinâmica. No entanto, não se atinge a perfeição sem muuuito ensaio e paciência.

Portanto, fugindo do romantismo idealizado, acredito sim nos amores possíveis, conheço alguns, inclusive. Quando falo de possíveis, falo de tolerância. Acho que falta paciência e tolerância, hoje em dia os relacionamentos estão cada vez mais descartáveis. As pessoas criam um modelo de sexo oposto e procuram uma pessoa que se encaixe naquele modelo, querem olhar para o outro e plin.... como um passe de mágica se apaixonar perdidamente e quando isso não acontece, é só frustração, deixamos de nos apaixonar e pronto, fim de relacionamento. Acredito que o amor vem com o tempo, o encanto que vem aos poucos, em doses homeopáticas, um sorriso, um olhar, um gesto, uma admiração... enfim, um olhar novo sobre aquela pessoa que às vezes não damos nada por ela. Aí sim, surgi um amor possível, um amor não idealizado de um príncipe encanto, mas um amor maduro, construído na aceitação das diferenças e dos defeitos que todos nós temos. Um amor tal como uma dança, onde o fundamental é o companheirismo e a cumplicidade. E você? Acredita?

Mariana


terça-feira, 3 de novembro de 2009

Ah, os homens...


"Homem" - Palavra que abriga uma complexidade simplista terrível. Toda vez que paro para pensar sobre eles, sinto que perco meu tempo... Mas, como gosto de perder tempo, eis um resumo rápido deste gênero tão peculiar:


1. Cuida menos da aparência. (tirando um ou outro gay - que sim, são homens, ou pelo menos pertencem ao sexo masculino - e algum metrossexual raríssimo).


2. Teimam em coçar suas partes íntimas em público. (Nem é necessário comentar, é só observar um homem na rua; três passadas, uma coçada).


3. Sempre viram a cabeça para olhar para a parte traseira de uma mulher que acaba de passar. (Não importa quem está olhando, nem se a pessoa vai se constranger se perceber. Geralmente as pessoas nascem com suas partes traseiras -embora silicone nessas áreas já exista- é um órgão como outro qualquer, como uma mão ou um cotovelo. Por que ninguém olha para trás para ver o cotovelo de uma bela mulher?).


4. Tendem a roncar mais e mais alto. (Passaram mais de uma vez na fila dos problemas respiratórios antes de nascer - ou é isso ou Deus detesta as mulheres e não quer que elas tenham um sono tranquilo ao lado de seus maridos).


5. Não escutam bem. (Não tem necessariamente problemas físicos nos timpanos, mas tem surdez psicológica, só ouvem o que querem e quando querem).


6. Vivem se gabando por possuírem mais neurônios que as mulheres, mas não os utilizam muito, então do que adianta? (são muito "ingênuos" - para não dizer burrinhos mesmo... cometem uns erros primários que são dignos de pena. Exemplo: esquecem a própria mentira que contaram).


7. São sexualmente atraídos por qualquer coisa. (E quando eu digo qualquer coisa, eu digo QUALQUER COISA mesmo, as cabras do interior que o digam...).


Bem, esses são alguns dos ítens que consegui lembrar sobre o brilhante sexo masculino. É, realmente perdi meu tempo novamente...
E só para finalizar: não sei se sou só eu, ou realmente as vezes dá em todas nós, uma vontadezinha de agir igual a protagonista da tirinha do início... rsrs


Jacqueline

sábado, 24 de outubro de 2009

Se os Homens Fossem Obras de Arte...

Não podemos negar que a gente tem mania de rotular as pessoas... elegemos uma característica que julgamos dominante no indivíduo e lá vamos nós criando os esteriótipos - o nerd, o bombadão, o surtado, o casável... Que jogue a primeira pedra, quem nunca rotulou ninguém!


Há um tempinho atrás, em uma reunião profundamente filosófica, começamos a brincar com esses esteriótipos, ligando-os a certas obras de arte e a produções de certos artistas (sabemos, papo de nerd desocupado...); eis que saiu a idéia desse post. No entanto, antes de começar nossa “análise” nada científica, devemos deixar claro aos estudiosos da arte de plantão (um ou dois) que nosso ensaio não tem o menor compromisso com as escolas artísticas e é só uma brincadeira com os homens.


Bem...


O primeiro tipo é o homem Van Gogh: É intenso e caótico. Como toda boa obra de arte impressionista, é lindo quando visto de longe, mas quando olhado de perto, é uma confusão só. Cara leitora, você até pode se envolver com um tipo desses, afinal, a sua intensidade desperta uma certa emoção. No entanto, fique atenta! Esse tipo de homem é complicado - tem uma tendência à loucura e obsessão... não estranhe se em um belo dia receber a orelha do dito cujo pelo correio.



O segundo tipo é o homem Jean Baptiste Debret: Debret foi um Retratista francês que veio para o Brasil ainda na época colonial, junto com a Missão Artística Francesa. Uma grande característica de sua obra, é a retratação do cotidiano brasileiro de então. Cara leitora, a primeira coisa que a gente lembra quando se fala de Brasil Colônia é o quê? Isso mesmo: escravidão.Daí, surge o homem Debret... aquele que se deixa sempre escravizar; é manso e obediente - este tipo pode ser uma maravilha no início, entretanto, com o tempo de relacionamento, pode ser um pouco maçante. Envolver-se com ele, não tem muita emoção, acaba virando um homem previsível demais; se seu escravo está te entediando, o jeito é levá-lo para o pelourinho e o devolver para senzala, que é o seu lugar.
Ah, existe mais um 'porém': as vezes a dona se apega ao seu escravo, então, muita atenção! escravos as vezes se rebelam! Para manter seu escravo, chicote nele! (principalmente entre quatro paredes).


O nosso terceiro tipo é o homem Leonardo da Vinci: este é igual ao sorriso da Mona Lisa - misterioso. Exerce um certo encanto, você nunca sabe ao certo o que ele quer e o que está pensando o que torna estimulante desvendar aos poucos os meandros de tanto mistério... o problema é que se o sujeito for fechado demais, fica chato. Afinal, nem Sherlock Holmes aguenta tanto mistério.


O quarto tipo é o homem Salvador Dali: suas obras parecem sonhos distorcidos que aparentemente, não fazem o menor sentido.
O homem deste tipo é o famoso “sem noção”... fala que você está gorda ou que você está com uma roupa horrível e nem percebe a besteira que disse - é o rei das gafes. Muitos tem a cara de pau de se dizerem 'realistas'... Depois ainda vem com um papinho de: “Ah, você é muito sensível, eu não falei nada demais, o que foi que eu disse?”.Bem, antes que seja você que arranque a orelha deste indivíduo, pondere pular fora. Mas se você é apaixonada por um tipo desses, calma! Ainda não está tudo perdido, pode ter uma solução. Tente conversar sobre a falta de tato dele e se isso não funcionar (quase nunca funciona), comece a trocar falta de bom senso por falta de bom senso ainda maior... fale da barriquinha proeminente que ele está ficando e o quanto ele fica horrível com aquela roupa... mas se quiser pegar pesado mesmo, fale mal dele na cama! Afinal, você também não está falando nada demais, não é mesmo?!


O quinto tipo é o homem Caravaggio: sua pintura é extremamente escura, sombria, obscura, com um fundo quase sempre todo preto. Caravaggio, gostava de seguir as pessoas pelas ruas para servirem de modelo para suas obras, dizem, inclusive, que o corpo de uma prostituta morta serviu de modelo para uma de suas pinturas da Virgem Maria. Caras deste tipo, são extremamente perigosos, perseguidores, psicopatas e sinistros. Ele é possivelmente um cara que coleciona fotos de mulheres desconhecidas escondidas dentro do armário junto com um esqueleto. Aliás, abrir o armário de um tipo desses pode ser surpreendente, pode-se até encontrar um machadinho ou uma boneca inflável com o seu rosto. Cara leitora, se você não quiser ver não só sua orelha fora do corpo como também os seus outros membros, fuja.... e em hipótese nenhum leve esta “obra de arte” para a sua casa.


O sexto tipo é o homem Picasso: Você já devia estar pensando: "e os homens galinhas?" Pois então, o galinha é o tipo Picasso. Antes que você pense que nós estamos fazendo um trocadilho óbvio com o nome do artista, fique sabendo que não é nada disso. Pablo Picasso além de um gênio da arte, era conhecido como “pegador” e teve várias mulheres - inclusive, muitas de suas pinturas são das mulheres que ele teve. Homens desse tipo são “galinhas” assumidos e ponto final. Se envolver com um tipo desses, pode até ser divertido se você não criar nenhuma expectativa de um relacionamento sério, apaixonar-se por ele pode ser fatal.


O sétimo tipo é o homem Arte Naif: Colorido, alegre, lindo, simpático, fácil de gostar, ilumina seu dia e te coloca para cima com vários elogios ... seria perfeito se não fosse por um "pequeno" detalhe - ele é gay!!! O máximo que você pode conseguir dele é uma amizade muito bacana para poder conversar sobre a marca dos shampoos que usam e a maquiagem que ele indica... Ah, mas se você é baladeira, o homem Arte Naif costuma ser um ótimo parceiro de noitada. Só tome um cuidado: policie-se para não ficar o tempo todo pensando “Ah, que desperdício....”.


Nosso oitavo tipo é o homem Toulouse-Lautrec: Toulouse era figurinha conhecidíssima pelas zonas boêmias de Paris e adorava pintar o Molin Rouge e suas prostitutas.
É um tipo encantador e intenso...O homem Lautrec, é um frequentador assíduo da Lapa e um boêmio; tal qual o homem arte naif, ele é uma ótima companhia para as noitadas, com a diferença significativa de ser hétero. O problema dele é ser o famoso “bicho solto” - é livre e foge de namoradas e compromissos sérios. Relacionamento duradouro com este tipo é praticamente impossível, até, porque você corre o risco de ficar viúva de um marido que, tal como Lautrec, morreu aos 36 anos de sífilis e alcoolismo.


Temos ainda o Homem Natureza Morta: esse tipo é o famoso deprimido - não sai de casa, não gosta de nada, geralmente vegeta ao lado de um computador o santo dia inteiro... você não sabe se está bem ou se não está. Depois da invenção do Orkut, socializar para ele, virou sinônimo de mandar um scrap... Atenção: tipo desgastante! Rouba seu furor juvenil e quando você dá por si, está passando o dia num quarto trancada perto de um computador. Só um aviso final: ultimamente, alguns Homens Natureza Morta estão se disfarçando de Emos, mantenha-se, portanto, atenta!



E o nosso penúltimo tipo, é o homem Barroco: Esse estilo é característico do período de Contra Reforma e é muito conhecido pela dramaticidade das suas figuras. O plano central é iluminado, enquanto as extremidades são sombrias; usa cores fortes e é vibrante. Aff, o homem Barroco é o drama em pessoa... A vida é um palco e tudo ganha uma proporção intensa... Você disse um singelo 'bom dia' para o caixa do mercado e ele vem com o drama: "você deu mole! Não me ama mais? Você acha que eu sou babaca..." A vida ao lado de um Homem Barroco é esperar sempre pelo próximo drama...


E finalmente, o homem tipo Andy Warhol: Criador da pop art, conhecido por fazer obras de arte em série, por trabalhar com publicidade e cinema; é o autor da frase: “no futuro, toda a gente será célebre durante quinze minutos.” Este é do tipo que você encontra aos milhares - são todos iguais, fortinhos, estilo triângulo invertido (forte nos braços e magro nas pernas), enfim: são os ratos de academia. A barriga tanquinho de lavar roupas pode até ser interessante (vamos combinar que é), mas não eternamente. A vantagem de um homem tipo Andy Warhol, é que se você tomar ou der um fora, não será difícil arrumar outro do mesmo tipo, afinal, são todos iguais mesmo...



Cara leitora, qual é o seu tipo de obra de arte favorita? Você é colecionadora de algum estilo em particular ou tem um gosto eclético? Fique sabendo que não existe obra de arte perfeita e o gosto é subjetivo: depende dos olhos de quem vê.
A grande sacada é justamente a percepção de que nada, nem ninguém é perfeito e esta, talvez, seja a maravilha da vida - aceitar a imperfeições, colocar numa balança os defeitos e qualidades de sua obra de arte e avaliar se ela vale ser apreciada ou não.


E você, conhece algum homem obra de arte que não foi mencionado? Nos Conte.


Jacqueline e Mariana

sábado, 17 de outubro de 2009

Pra não dizer que não falei de doces....

Receita do Dia: “O Fantástico Brigadeiro da Tia Mari”.

Folheando o livro de receitas da minha avó me chamou a atenção os nomes das receitas, algo do tipo; o maravilhoso bacalhau com batatas, a deliciosa torta de maça ou ainda o saboroso peixe com coco. Copiando este ideia, e parafraseando o filme a “Fantástica Fábrica de Chocolates” do saboroso Johnny Depp, resolvi então colocar um nome na minha receita nada original; “O Fantástico Brigadeiro da Tia Mari”.

Ah!!!!... os chocolates.... Se realmente substituem o sexo isso eu não sei. Mas que dá uma sensação pra lá de boa, isso dá. O chocolate acalma, traz alegria, satisfação, prazer, bom humor... só não traz boa forma, mas isso é só um pequeno detalhe, afinal, o que engorda é a culpa.

Cara leitora, o brigadeiro é a receita preferida dos solitários e rejeitados. Comer uma panela de brigadeiro chorando e assistindo uma comédia romântica é um clássico e a maioria das mulheres já se perceberam nesta situação lastimável. Ou ainda comer ao lado do telefone esperando o dito cujo ligar convidando você para sair. Para você mulher rejeitada, solitária, solteira, casada, com companhia ou sem companhia, feliz ou infeliz no relacionamento, aí vai a receita do “Fantástico Brigadeiro da Tia Mari”, o doce da mulher moderna e péssima cozinheira:

Ingredientes:

Uma lata de leite condensado (qualquer receita que leve este ingrediente fica ótima, até com jiló fica uma delícia), chocolate em pó ou Nescau (com Nescau fica melhor, não deixa pedacinhos) e uma colher de manteiga. Dica: faça como nossas avós, cozinhar com uma colher de pau dá um gostinho especial ao doce.

Modo de Preparo:

Primeiro coloque o leite condensado numa panela. Aqueça a panela e aos pouco jogue o Nescau, não se esqueça de passá-lo numa peneira ou coador para o brigadeiro não ficar com pedacinhos. Por último acrescente uma colher bem rasa de manteiga, cuidado, colocar muita manteiga vai deixar sua receita muito gordurosa. Abaixe o fogo e espere o brigadeiro endurecer só um pouco. Ao contrário de você, o ponto ideal do brigadeiro e quando ele começar a formar uma espécie de “celulite”, isso mesmo, uns furinhos. Deixe a celulite com o brigadeiro e não para você, vai fazer bem para a sua consciência.

Pensa que acabou? Não, esta receita exigi muita técnica. Agora é a vez do resfriamento. Depois de aquecido você deve resfriar o doce para ficar mais durinho e para você comer mais rápido sem correr o risco de queimar a boca que será beijada muitas vezes (pense positivo, leitora). Hora de dar o famoso choque térmico. Coloque a panela ainda quente numa travessa com gelo e água fria, enquanto isso, não pare de mexer o doce (só para fazer um bom exercício e diminuir sua culpa). Voilá... pronto, agora é só sentar ao lado do telefone, pegar um lencinho, colocar um DVD na TV e deliciar o fantástico brigadeiro.

Ps: O legal deste brigadeiro é comê-lo na panela, mas se você quiser fazer o docinho para servir ao seu amado então é só deixar um pouquinho mais na panela, para endurecer a ponto de ser enrolado assim como o seu parceiro.

Mariana



quinta-feira, 15 de outubro de 2009


Para Não dizer que não Falamos em Sexo...


Algumas pessoas estão reclamando que o blog recebe o nome de 'Doces, Sexo & Histórias', mas não tem posts sobre sexo e doces, somente sobre histórias, que aliás, já contamos muitas.

Bem, atendendo a pedidos, vou começar pelo mais gostoso... o sexo!

Então, queridas leitoras, que ainda não perderam a fé no sexo oposto e querem fazer um agradinho aos seus parceiros, aí vão algumas dicas práticas para você apimentar sua relação com um bom e saudável sexo oral (já que é para pegar, que peguemos pesado...).

1. Tire lentamente as calças dele e comece a acariciá-lo. Faça de forma lenta e sexy... e tente não ser neurótica - não tenha pudores (ou tenha bem poucos). O deixe bem excitado.

2. Comece masturbando o seu parceiro e depois vá gradativamente usando sua língua. Concentre-se um pouco na ponta, que é a parte mais sensível.

3. Troque olhares com seu parceiro... ele adora vê-la nessa posição (que sim, é um pouco submissa)...

4. Mãos à obra... ou melhor, boca à obra. Alterne movimentos suaves com movimentos mais intensos... use sua lingua e não se empolgue ao ponto de morder - se quiser, masturbe-o junto.

5. engolir ou cuspir? Tanto faz! Não faça nada que não esteja com vontade... se não quiser engolir, não será isso que vai fazer todo o ato ir por água abaixo... é sexy deixar com que ele ejacule em alguma parte do seu corpo também, tal qual seios ou barriga (vai por mim, evite o cabelo!)

Por último vale um recado: PROTEJA-SE!!!!!!!!!!!! Se você não conhece bem o cara, se não tem um relacionamento sólido ao ponto de ter CERTEZA de que ele está saudável, use camisinha!

Espero que aproveitem!


Anônimo
Usem a imaginação para saber qual das três donas do blog publicou esse post...


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Procuram-se homens que saibam dançar.

No sábado passado as três fundadoras deste blog resolveram fazer uma visita à Lapa, especificamente ao Clube dos Democráticos. Lugar agradável, boa música e excelente frequência, com um problema; a vontade de dançar. Estavam lá, alguns casais “riscando” a pista de dança com a sua bela gafieira e eu lá sentada lastimando a ausência de uma companhia para dançar. Por causa disso, estou lançando este apelo; rapazes, por favor, aprendam a dançar!!!! Não precisa virar um Fred Astaire, Gene Kelly ou um Patrick Swayze (que Deus o tenha), mas uns passinhos básicos para enganar não fazem mal a ninguém. A dança possui milhões de benefícios, faz bem à saúde, dá alegria e o melhor; ajuda a manter a forma, ou você acha que só as mulheres que tem que ficar com o corpo de sereia?! Ainda não se convenceu?! Pois bem, vou lhe dar um argumento melhor. A dança te deixa com aquela famosa “pegada”. Cuidado.... ter “pegada” não significa que você vai ficar com a famosa “mão boba” no salão, quem gosta realmente de dançar odeia isso. Se quiser só se esfregar então vai aprender funk. Dançar vai lhe dar “borogodó”, enquanto dança, você pode jogar aquele papo ao pé do ouvido da moça. Então, vamos lá, você leitor que vive reclamando que está sozinho e que as mulheres só gostam de cafajestes, bote um sapato bicolor, convide uma dama e cai na pista. Caso você tenha uma namorada, não tem desculpa, dançar é uma ótima forma de esquentar o relacionamento e uma oportunidade de juntos aprenderem alguma coisa.

O blog "Doce, Sexo e Histórias" adverte: dançar faz bem à saúde e a sua vida amorosa também.


Mariana



quinta-feira, 8 de outubro de 2009

ABAIXO AO PHOTOSHOP!!!
VIVA AS MULHERES REAIS!!!

Caros leitores (as) do blog, li uma matéria hoje que achei super interessante e trouxe aqui para o blog. Trata-se de um manifesto contra o uso do photoshop!

Qual de nós meninas, nunca ficou com uma certa inveja daquelas mulheres aparentemente perfeitas nas capas de revistas? Pois é, sem motivo, amigas, como sempre desconfiamos... é tudo photoshop!!! Rapazes, aquelas mulheres não existem, não são reais e sim resultados dos avanços tecnológicos que tornam as mulheres seres indefectíveis!

A reportagem comentava sobre a polêmica em torno de uma publicação da nova campanha da Ralph Lauren que traz uma modelo magra, muito magra. Com certeza esse tipo de publicação contribui para a anorexia, a bulimia de várias meninas que acreditam num ideal de magreza inatingível. Pasmem, a pouco tempo, uma outra publicação conseguiu "retirar" a barriga de cinco meses de Gisele Bunchen! Ou seja, tudo parece fruto de uma criação de computador, a imagem de beleza feminina está cada vez mais distorcida. As editoras alegam que as pessoas, tanto homens quanto mulheres, não querem ver "pessoas normais" e sim corpos perfeitos. (Bem, não sei pelos outros, mas eu gostaria mais de pessoas normais...) O Parlamento Britânico resolveu proibir tais publicações e iniciou uma campanha contra essas publicações. (Apoiadíssimos!)

Uma revista americana resolveu causar mais polêmica, publicou a foto de uma modelo de calcinha, sem nenhuma intervenção de photoshop! Pessoal, a modelo é linda e tem uma barriguinha bem saliente, ou seja, uma mulher normal!

Abaixo o photoshop e um viva para nós mulheres lindas, originais e normais! Vamos assumir nossas imperfeições e valorizar nossos atributos, todas, até as modelos tem um barriguinha e umas celutites aqui e ali!

Isabele

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Guia de Etiqueta Para "Ex Namorados"


Ex namorados fazem parte da vida de todas as mulheres, tirando aquelas que encontraram de cara o seu príncipe encantado - o que é mais ou menos 0,00000000001% das mulheres por aí - as outras milhões de mortais, beijam uma série de sapos antes de encontrarem (ou não) o seu príncipe - algumas simplesmente morrem procurando ou outras, infelizmente, casam com sapos mesmo e se resignam na vida do brejo.


O jeito para as mais seletivas é acumular uma listinha de experiência. Algumas tem uma listinha bem simplezinha; já outras, dão uma exagerada e levam ao pé da letra o jargão: "A fila anda..."


Não importa gênero, número ou grau dos ex, o que importa é a ciência de que se o relacionamento tivesse sido realmente bom, o ex seria o atual e não o ex - simples assim. O único problema é que muitos ex por aí, não se colocam nos seus lugares de ex e continuam ligando, procurando, sendo invasivos e de uma forma bizarra e mesmo assustadora, ainda acham que podem ter o controle e a posse da vida das suas ex parceiras - não fiquem pasmos, é muito mais comum do que vocês podem imaginar... chega ao ponto de alguns ex já estarem com outras namoradas e continuarem a ligar. Por que? Não faço a mínima idéia... Vaidade? Insegurança de partir para o desconhecido? Talvez.

Então, esse post é dedicado aos ex!!! Sim, esse post é para você que é um ex obssesivo e manipulador, perturbado e maluco!!! Para você criamos este manual de etiqueta, com pequenas regras básicas de conduta e comportamento, que te ensinarão a sumir com elegância e compostura!



Regra número 1. EX NÃO VIRA SUA AMIGA - Esqueça a possibilidade de virar melhor amigo da sua ex ou tê-la como melhor amiga. Não rola trocar confidências do gênero: lembra daquele dia que eu brochei? Pois é, aconteceu de novo..." ou pior: "Tive o melhor sexo da minha vida ontem... minha atual faz de tudo e deixa a ex no chinelo... ops! a ex era você...". O ouvido da sua ex não é pinico, logo, ela não vai querer trocar confidências ou compartilhar experiências de vida - requisitos básicos para uma relação de amizade.
Regra número 2. SUA EX NÃO VAI SER AMIGA DA SUA ATUAL - não se anime com fantasias sórdidas entre sua ex e sua atual, pois possivelmente elas se odiarão (mesmo que não se conheçam e nunca tenham se visto). É a ordem natural das coisas... pode ter sido até a ex quem deu o fim no relacionamento, mas ainda assim, ela não vai gostar da sua atual. Sexo à três? Aff, só nos sonhos mesmo... até porque, intimidade é algo que se amplia, geralmente não retrocede. A sua ex ia na sua casa, abria a geladeira e pegava coisas para comer; ela botava o pé no sofá e dormia na sua cama a hora que quisesse. Enfim, sua ex, querido, não vai querer ter uma série de limitações e vetos de intimidade, pedindo 'com licença' e 'por favor' para a sua nova namorada. Ela achará isso uma situação muito desagradável.
Regra número 3. NO TÉRMINO SE ABRE MÃO DE FORMA INTEGRAL DA EX- Você, querido ex, deve ter em mente (se foi você quem terminou), que quando terminou o relacionamento, decidiu abrir mão da pessoa integralmente: das coisas boas e ruins que ela oferecia! Você fugiu da calcinha molhada que ficava na sua pia e das músicas irritantes que ela escutava alto, mas fugiu também dos cafunés que te faziam pegar no sono e das surprezas de aniversário que ela te preparava todo santo ano...
Regra número 4. NÃO LIGUE - É irritante e patético ter que saber notícias do ex sem querer... você acha que o sujeito já morreu e derrepente, lá está ele novo... Apague o teefone de sua ex da agenda. Até porque vai que você liga e ela já está com o atual?
Regra número 5. NUNCA SIGA SUA EX. Isso é lunático e paranóico! Dá cadeia! Nem preciso escrever mais nada...
Regra número 6. QUEM VIVE DE PASSADO É MUSEU (e historiadores... e restauradores... e arquivistas...) Siga sua vida! Passado é sempre bom! Sempre trás experiências positivas de aprendizado, mas já passou!!! Foi embora como as folhas de outono... Siga sua vida e deixe sua ex seguir a dela.
Enfim, ex podem ser muito desagradáveis de vez em quando e as vezes nem se dão conta disso... bem, consegui pensar em seis regrinhas básicas para os ex seguirem... alguém lembra e cita mais alguma?

Jacqueline

(Isabele)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PADRE: PROCURA UMA NAMORADA!!!

Caros leitores (as), não estranhem o título, eu tenho uma história curiosa pra contar...

Essa semana, depois de uma longa jornada - trabalho, faculdade, doutorado - fui pra casa do namorado. Enquanto ele não chegava, resolvi ligar a TV, para me distrair e descansar. Eu sou aquele tipo de pessoa que quase não assiste televisão e quando resolvo fazer isso, não consigo ficar mais que dez minutos sem trocar de canal. Assim, prender minha atenção em frente a telona é tarefa difícil, o programa terá que ter algo beeemmmm interessante ou inusitado e não é que tinha... Zapeando por aí, de repente, parei num canal cuja a chamada era assim: "É o amor. Padre Jader procura uma namorada!".

Chamada típica de programa que quer prender o telespectador... O programa era o Superpop da Rede TV, com Luciana Gimenez (aquela apresentadora que vivem chamando de burra... o que particularmente acho não é bem assim... casada, muito bem casada $, mãe de um filho de artista internacional, dona de um belo corpo, de belas roupas etc...). Para sanar minha curiosidade, resolvi parar uns instantes e assistir.

Tratava-se de um padre da Igreja Cristã Renovada (vertente que permite que os padres casem e tenham filhos!) que estava a procura de uma namorada! Até aí, já era uma história pouco comum, um padre de 36 anos, num programa de televisão procurando um amor...

Mas, ainda tinha mais, muitas mulheres se inscrevem como candidatas para conhecer o tal padre!!! O perfil das mulheres é o que mais me surpreendeu... Eram mulheres bonitas, aparentemente bem resolvidas, independentes, certa condição financeira, instrução, corpo em dia... todas tinham o mesmo desejo "arrumar um namorado", o que parecia estar sendo difícil para todas elas.
Tudo bem, esses programas são forjados e exagerados, etc, mas nem por isso deixam de refletir uma parcela da realidade... meninas, sinto dizer... mas, faltam homens no mercado! A cada dia me assusto mais o número crescente de mulheres bonitas, disponíveis a procura de um namorado! Um cara legal, inteligente, fiel , com certa estabilidade financeira, sem vícios... e mais algumas coisinhas. Tudo bem, sei que nós mulheres somos exigentes, mas amigas, parece que o negócio tá bem difícil também, o mercado anda muito em baixa. Parece que as mulheres estão vivendo um processo de desenvolvimento pessoal-acadêmico-financeiro e estão ficando cada vez mais solitárias! O que mais conheço ultimamente são mulheres que reclamam da falta de um namorado. E ainda tem aquelas, que apesar de possuirem um relacionamento meio "mal das pernas", preferem assim mesmo mantê-los, pois dizem que será difícil arrumar outro!

As candidatas a namorada do tal padre, tinha isso em comum também, todas desejavam um namorado, e porque não tentar uma padre, pelo menos a fidelidade talvez fosse uma das qualidades dele. Algumas candidatas eram meio baladeiras e prometiam até largar essa vida por um namorado! Vamos combinar que é preciso coragem para se expor assim... confesso que apesar da história pizarra e do viés sensacionalista, fiquei pensando nas mulheres maravilhosas sozinhas que eu conheço e percebi amigas que a maré não tá pra peixe... Dentre as candidatas havia uma, de Brasília, que participou do programa pelo skype e parecia desesperada coitada. Acho até que as mulheres de tão crítica que está a situação estão aceitando de bom grado o que vier... até padre... em tempos de crise, o que cair na rede é peixe, já dizia uma amiga minha... Alguém se candidata?



Para assistir o vídeo, acesse: http://www.redetv.com.br/portal/Video.aspx?39,9,56493

Isabele

VOTE PELO FIM DO DIA DO AMANTE

Existe dia para tudo o que a gente nem consegue imaginar: dia dos mestres, dos médicos, dos avós, dos pais, das mães... dia do trompete, do paquibaquigrafo, da xurumela (deve existir com certeza)... Mas ontem, especialmente, foi o dia do amante!


Deveríamos entender amante como aquela pessoa que ama, aquela pessoa com o coração cheio do nobre sentimento que é o amor! Ah, o caramba! Nunca é nisso que pensamos quando escutamos a palavra 'amante'. Nossas mentes poluídas, nos fazem logo associar amante com o (a) vigarista que rouba nossos homens /mulheres.

Mas.... vigarista? Por quê?


Eu escutei no rádio uma entrevista com diversos homens e mulheres defendo ou atacando a traição. Alguns diziam que era algo imperdoável ou que Deus não via essa ação com bons olhos; outros, defendiam como sendo da natureza humana, algo que não há como fugir. Alguns participantes (homens, parar variar...) afirmavam trair mesmo amando suas esposas - gostavam simplesmente de variar.


O que me fez lembrar de um livro, que eu li certa vez, em que a autora dizia que alguns bois, que ficavam com a mesma vaca muito tempo, paravam de procriar. No entanto, se uma vaca nova entrasse na parada, o boi voltava a ser garanhão. É, um homem pode facilmente ser comparado com um boi. Incrível! Homens e bois se equivalem!

Mas não era nada disso que eu queria falar. Voltando ao tema central, vira e mexe nos indignamos com os (as) amantes. Isso é completamente infundado, pois na realidade, quem tem compromisso efetivo com você é o seu companheiro infiél - ele(a) prometeu monogamia, ele(a) prometeu estar do seu lado na saúde, doença e todo esse papo. O que o (a) amante do seu companheiro te prometeu? Você ouviu da boca do dito cujo que ele te seria fiel até que a morte os separassem?

Eu nunca estive nessa posição, mas creio sinceramente que a vida de muitos amantes não é nada confortável - ter sempre uma pessoa pela metade, nunca saber se ela está falando a verdade ou mentindo sobre o fim próximo do casamento, imaginar ele (a) com a esposa / marido... enfim, não é uma dia que ninguém deveria comemorar, pois motivos de comemoração não exitem muitos.

Vamos, portanto, votar pelo fim do dia do amante, fazer um abaixo assinado e substituí-lo pelo dia dos mafagafos. Poderíamos fazer mais um feriado nacional (nem temos muitos) e uma grande festa.

Jacqueline

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Vídeo Teste

video

Olá!

Bem, uma das nossas propostas iniciais para o Blog era diversificar um pouco as postagens adicionando alguns vídeos de vez em quando - é mais divertido e dinâmico.

O vídeo acima foi só um teste - sem noção e sem conteúdo significativo, que no fim não falou quase nada da sua proposta inicial, mas serviu para que testássemos a viabilidade do intento.

Infelizmente, Isabele não estava presente, mas no próximo, ela dará o ar de sua graça também.

Espero que gostem (principalmente os Pablos e Pedros)...

Jacqueline

quarta-feira, 9 de setembro de 2009



E AÍ, VAI CASAR QUANDO?


Se você está na faixa dos 20 e poucos, 30 anos, com certeza já deve ter ouvido a famosa frase: "E aí vai casar quando?" E caso ainda não tenham perguntado isso a você, não se preocupe, alguém fará o "favor" de te perguntar...

De repente me dei conta que quanto mais a idade avança, mais as pessoas, amigos, familiares, conhecidos e até desconhecidos, te pressionam (mesmo que inconscientemente) com essa terrível pergunta...

As pessoas parecem esperar que o ponto alto da sua vida adulta seja o casamento! Se você é comprometida, namorando a algum tempo então... ihhh, se prepare, mais cedo ou mais tarde alguém vai te fazer essa pergunta... Por outro lado, se você é solteira, mesmo assim, de uma forma ou de outra as pessoas acabam ao menos te questionando a respeito do assunto. Para as mulheres, a pressão social é muito pior. (convido os homens que visitam o blog a opinarem a respeito!).

Você vai naquela festinha de família, as pessoas já viram seu parceiro pelo menos meia dúzia de vezes e alguma tia chata logo sorri e pergunta: "E aí, para quando é o casório?"

Você reencontra uma amiga dos tempos de colégios, e papo vai papo vem, a frase aparece quase que instantâneamente: - "E aí amiga, casa quando?"

Uma de suas amigas resolve casar... aí ferrou de vez... Simplesmente, seja você solteira ou comprometida, terá uma pessoa que vai fazer o comentário: "Agora falta você hein..."

Muitas de nós, as vezes, ainda sofrem uma pressão familiar mais direta, da própria mãe ou da sogra: "Mas, afinal, vocês vão casar quando?" Parece que sua vida e sua felicidade dependem disso... até você se casar nada é realmente importante, a razão de você estar no mundo parece ser está... o casamento!

Estou percebendo que quando você está próximo dos trinta tudo piora, a pressão e as perguntas vão chegando a um nível quase que insuportável... Pior, ao refletir sobre isso, me dei conta que nós mulheres acabamos nos pressionando mutuamente. Essa célebre pergunta, é feita em grande parte justamente por mulheres! Assustador... odeio essa pergunta, mas pior que as vezes me pego perguntando para as amigas, quase que sem querer... "E aí menina, vai casar quando..."

Mulheres uni-vos! Nada de pressão...
Vamos nos policiar e parar de perguntar umas as outras: "E aí, vai casar quando?"

Isabele

Sim aos Cachorros! Não aos Namorados!




Algumas namoradas quando insatisfeitas com as atitudes de seus companheiros costumam "ofendê-los" chamando-os de cachorros, sem se darem conta da blasfêmia que cometem, pois na realidade, elas estão ofendendo os cachorros com essa comparação. Coitadinhos dos cachorrinhos, eles não merecem. Na prática, chamar alguém de cachorro longe de ser uma ofensa pode se tornar um elogio, afinal, nossos companheiros de quatro patas possuem inúmeras qualidades e se as colocarmos em perspectiva ao sexo masculino do ser humano, mais essas qualidades se evidenciam.


Quem tem um cachorro não precisa de um namorado, por isso lanço o protesto: Sim aos Cachorros! Não aos namorados! E para quem ainda não se convenceu, aí vão alguns ítens para reflexão:


1. Cachorros te escutam; você pode gastar todas as suas milhares de palavras diárias com ele, que ele não demonstrará tédio ou tentará mudar de assunto, mas o melhor de tudo é que ele não fará perguntas idiotas ou perguntará do que mesmo você estava falando.


2. Cachorros não se importam com a sua aparência; você pode estar sem depilação há meses, desgranhada, gorda, de buço, unhas feias que eles não ligarão para isso, sem cobranças - você pode simplesmente relaxar e ser querida de qualquer forma...


3. O cachorro sempre fica feliz ao te ver. Você chega de um dia estressante de trabalho e afazeres que ele estará lá abanando rabo e feliz. Sempre!


4. Você nunca correrá o risco de encontrar a toalha molhada do seu cachorro na cama ou a cueca dele largada na pia do banheiro.


5. Ele nunca levará amigos indesejáveis dele para casa.


6. Ele não liga para futebol e não te trocará por um bando de marmanjos barbados atrás de uma bola e ganhando milhões para isso.


7. Ele não tem barriga de chope.


8. E o mais importante, você sabe que ele é irracional e naturalmente instintivo, logo, você não o encherá de expectativas que o intelecto dele não acompanhará.


Viram? Há inúmeras vantagens em ter um cachorro ao invés de um namorado, e nós ainda nem mencionamos os olhinhos brilhantes e o pelo macio. Por isso vamos todos aderir ao movimento Sim aos Cachorros! Não aos Namorados! Conto com todos você para uma mobilização nacional!


Jacqueline

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Reconheça; Ele não está tão a fim de você !!!!

Tá legal, eu admito, sou fã de comédias românticas, eu sei, eu sei, algumas delas são óbvias demais, mais um pouco de fantasia não faz mal a ninguém. Vamos combinar, cara leitora, pelo menos nos filmes, nós mulheres temos que se dar bem, senão cadê a esperança da humanidade?!

Sou uma espectadora compulsiva de comédias românticas (será que existe algum tipo de grupo de auto-ajuda para isso, do tipo, Alcoólicos Anônimos?). O último bom filme que assisti chama-se “Ele não está tão a fim de você”, acredito que muitos de vocês devem ter visto no cinema ou no recente lançamento em DVD. Baseado num livro de auto-ajuda (não, deste mal não padeço) “Ele simplesmente não está tão a fim de você” de Liz Tuccillo e Greg Behrnedethdos, roteiristas da série “Sex and the City”, é um filme sem romances óbvios com cenas de final feliz, embora, o final seja no estilo happy end. O interessante do filme é que ele próprio desconstroi outras comédias românticas onde tudo sempre dá certo, não espere isso, nem tudo dá certo, quando ele não está tão a fim de você.

A mensagem mais legal do filme é que você não deve ser iludir, se ele não te liga, não te encontra por causa de sua agenda lotada de compromissos, está fazendo bodas de noivado, não se separa da mulher porque ela tem um grave problema de saúde, não fala com você no MSN ou orkut, ou qualquer outra mídia eletrônica que servem só para você levar mais um fora, reconheça; ele não estão tão a fim de você. Não minta, cara leitora, por mais emancipadas que somos temos uma tendência a fantasiar e acreditar que no fundo, mais bem lá no fundo, ele está querendo disfarçar que não tem interesse, pois tem medo de relacionamentos sérios. Quando ele está realmente a fim de você, pode cair uma bomba atômica no estilo Hiroshima e Nagasaki que o “dito cujo” vai arrumar um jeito de vocês ficarem juntos...

Quanto estamos envolvidas em relacionamentos incertos, fracassados, platônicos ou simplesmente impossíveis, às vezes pensamos que aquele fora direito ou indireto que levamos não quer dizer realmente isso. Ficamos horas alugando os ouvidos de nossas amigas, jogando tarô, fazendo mapas astrais, lendo horóscopo de nossos pretendentes para tentar descobrir o que realmente ele quis dizer quando disse que você era boa demais para ele (ops!) ou quando gosta muito de sua amizade e tem medo de perdê-la, ou ainda, quando nunca atende seus telefonemas, ou te chama de fofa. Viramos verdadeiras detetives de segundas palavras ou intenções; “não na verdade ele está escondendo os sentimentos”, “homens às vezes tem dificuldade de expressar seus sentimentos”, “ele falou isso, mas na verdade queria dizer aquilo, está confuso”, besteira!!!! Os homens não são crianças, alguns sabem bem o que querem e conseguem se expressar, o fora é só um fora, não tem segundas, terceiras ou quartas intenções, o recado é claro, cara leitora, ele não está tão a fim de você.

Nesta altura do campeonato, algumas de vocês, devem estar pensando; “ela só está falando isso porque é uma mal amada!” “na teoria é fácil perceber, mas na prática...” “na verdade ela não acredita no amor, é uma pessimista”, “coitada, sofreu uma desilusão e está jogando a raiva para o mundo, ou melhor, para o blog”, podem até jogar pedras, realmente algumas destas afirmações podem até estar corretas, afinal, não sou uma espectadora de comédias românticas à toa. Mas, algumas das coisas que eu disse acima fazem algum sentido. O que eu estou querendo dizer de forma bem humorada ou não, é que temos acordar para realidade e não perder tempo com quem não está tão a fim de você. Uma vez, uma amiga me disse “enquanto não encontramos o cara certo nós divertimos com os errados”, então se você sabe que ele não está a fim de você logo de cara, pelo menos se divirta, sem falsas ilusões. Temos que buscar nosso final feliz, seja ele qual for, sozinha, acompanhada, mal acompanhada, nos divertimos com os caras errados, ou simplesmente nos divertimos, mas, atenção, cuidado, tente ser um pouco realista e perceba quando ele não está tão a fim de você. Não perca sua esperança, como diz o filme, se liberte de quem não está tão a fim de você!

Ps: Caros leitores, não se sintam desprestigiados porque meu texto fez referência a caras leitoras. Sendo homens ou mulheres sempre encontramos pessoas que não estão tão a fim de nós, faz parte da vida, então, por favor, podem postar também os seus comentários. Caso você seja um felizardo que não tenho encontrado este tipo de pessoa, então vale a pena, nunca é demais conhecer o universo feminino.

Mariana

video